6 pilares para aumentar a produtividade em citrus

Um correto preparo de solo, mudas sadias, adubação adequada e controle fitossanitário na época correta são cuidados que garantem a implantação de um pomar saudável e produtivo

O Brasil é o maior produtor e exportador de suco de laranja do mundo, além de ter sucesso em outras culturas de citros como limão e tangerina. O prestígio alcançado pelo Brasil só é possível graças aos citricultores que se dedicam para melhorar a qualidade e produtividade da colheita a cada safra. Pensando no desafio de aumentar a produtividade, o produtor deve ficar atento aos pilares fundamentais que impactam no desenvolvimento das plantas de citros. “O produtor de citros tem que ter um perfil muito técnico para se manter na atividade”, afirma o consultor Humberto Vinicius Vescove, agroespecialista que oferece consultoria em citros para resgate por pontos na Rede AgroServices (veja a oferta aqui). “O meu objetivo na consultoria sempre foi a sustentabilidade. O citricultor tem que produzir bem por área, gerando benefícios sociais, ter lucros e estar ambientalmente correto”, diz Vescove. Confira 6 orientações essenciais para elevar a colheita das culturas cítricas.

 

1 – Primeiros passos do planejamento inicial

O primeiro pilar para garantir um manejo de sucesso no pomar de citros é entender uma regra fundamental: solo bem nutrido auxilia no desenvolvimento de plantas saudáveis e produtivas. Essa máxima é válida em todas as fases da cultura, especialmente no início da implantação da lavoura, de acordo com o agroespecialista Humberto Vinicius Vescove. “A adubação de formação do pomar é importantíssima. O produtor tem que fazer um preparo de solo adequado e boa adubação de base”, afirma o agroespecialista.

Para entender as necessidades da terra é preciso realizar a análise de solo (resgate o serviço na Rede AgroServices aqui) e buscar ajuda especializada para aplicar corretivos e adubos. “O produtor ainda tem dificuldade para o manejo de solo e precisa da ajuda de um profissional da área. É preciso fazer uma boa correção do solo, todos os nutrientes têm a sua função importante para a planta.” A fase de implantação da lavoura também representa o momento ideal para combater as invasoras, sendo recomendado aplicar herbicida pré-emergente para iniciar o plantio de citros com a área livre de plantas daninhas.

 

2 – Plantio das culturas de citros

De acordo com Vescove, a produtividade média de laranja gira em torno de 1.000 caixas por hectare. O resultado varia muito de acordo com a região produtora e o clima, mas alguns produtores chegam a colher mais de 2.000 caixas por hectare. Uma colheita tão acima da média geralmente é justificada pela boa genética, planejamento de plantio adequado e tratos culturais adequados. “Com preparo de solo, correção e um bom plantio, o produtor pode ter um pomar com precocidade de produção e colheita a partir de 2 anos e meio”, diz o agroespecialista.

Além disso, as plantas de citros são perenes e, a depender da variedade, o ciclo de produção do pomar pode ultrapassar uma década e meia. Por isso, é essencial zelar pela escolha da muda que será plantada e a adubação de base. Vescove recomenda investir em compra de mudas de viveiros idôneos e certificados. “É fundamental escolher uma muda de boa qualidade genética e investir em uma boa nutrição da muda nos primeiros anos, com calcário, gesso e fosfatagem”, afirma o agroespecialista. “Também recomendo aplicar inseticida para proteger a muda do ataque de psilídeo, entre outros.”

 

3 – Densidade de plantio

Ainda na etapa de plantio, a orientação é ter cuidado com a densidade de plantas por áreas. É preciso fazer um planejamento de variedade e adensamentos pois nem todas as variedades de laranja têm o mesmo comportamento. O adensamento excessivo pode facilitar a proliferação de pragas e doenças e comprometer a produtividade com o tempo. “O produtor começou a adensar muito a cultura. Inicialmente, ele tem uma produtividade maior e uma colheita com produtividade antecipada. Mas, com o tempo, os produtores tiveram que ficar mais atentos à poda e no manejo de pragas e doenças, então muitos agora começaram a diminuir o adensamento”, conta o consultor Humberto Vinicius Vescove.

 

4 – Manejo de poda de citrus

Embora a poda seja uma prática considerada antiga e tradicional, a técnica ainda desafia o manejo. Há diferentes técnicas de poda de formação, de condução e manutenção, poda de limpeza e de rejuvenescimento das plantas. Mas, em linhas gerais, a eliminação de ramos têm por objetivo estimular a planta a se desenvolver mais, influenciando na quantidade e qualidade dos frutos. Por isso, o procedimento deve ser realizado de forma estratégica e levar em consideração as características fenológicas de cada espécie de planta e variedade, além da região.

De acordo com o agroespecialista em citros, os produtores ainda enfrentam dificuldades na aplicação da técnica e uma poda mal executada pode surtir o efeito oposto ao esperado, comprometendo a frutificação, e ainda facilitar a proliferação de doenças. “Com os novos adensamentos, o produtor precisa ser mais técnico na poda para errar menos. Se ele fizer uma poda errada ou na época inadequada, com certeza perde produção”, diz Vescove.

 

5 – Doenças e pragas

Os pomares de citros estão sujeitos ao ataque de diversas doenças causadas por fungos, vírus e bactérias. As mais preocupantes atualmente são o greening, podridão floral dos citros, cancro cítrico, pinta preta e rubelose. Para realizar um controle eficaz dessas ameaças, é necessário investir em monitoramento constante e não descuidar da pulverização, realizando a aplicação de defensivos químicos no momento certo e de forma adequada.

A mesma recomendação vale para o controle de pragas. Segundo o consultor Humberto Vinicius Vescove, a principal dica é não perder a hora certa da aplicação, especialmente para o controle de insetos como o psilideo e bicho furão, entre outros. “No caso de manejo de bicho furão, quando o produtor deixa se instalarem na área, o controle fica muito mais oneroso. Eu recomendo aplicações preventivas de inseticidas, quando as frutas estiverem iniciando o processo de maturação”, diz ele.

A aplicação de inseticidas também tem o importante papel de controlar a população do inseto psilídeo, inseto transmissor da bactéria que causa a doença greening. A dica são pulverizações frequentes com inseticidas com bom período residual, ao longo do ano, priorizando e com aplicações mais frequentes nos períodos de maior fluxo vegetativo.

 

6 – Uso correto de defensivos agrícolas

A regulagem e a manutenção correta dos pulverizadores fazem a diferença nos resultados das pulverizações e controles, por isso, vale a pena investir em tecnologia de aplicação e em treinamento para os operadores. Segundo Vescove, o uso do maquinário vai determinar a efetividade do manejo de pragas e doenças. “O uso da tecnologia de aplicação em citros precisa evoluir muito ainda. Não adianta escolher um bom produto e depois ter baixa performance na aplicação”, afirma o agroespecialista.

Os produtores que desejam auxílio para realizar o procedimento de forma profissional podem contratar empresas especializadas para terceirizar as aplicações por meio do resgate de pontos na Rede AgroServices. Há inúmeras ofertas de serviço para pulverização terrestre (veja as ofertas aqui) e também existem opções na Rede AgroServices para o resgate de serviço de aplicação aérea, confira.

Compartilhe!

COPYRIGHT © REDE AGRO S.A - Última atualização: 09/09/2019 (1.0.3225)