Monitoramento da safra permite corrigir falhas de todas as operações agrícolas

Criando zonas de produtividade, produtores podem testar a eficiência dos insumos e maquinário

A engenheira agrônoma e produtora rural Gabriela Nichel tem uma rotina agitada – e conectada à internet. Ela acompanha todas as operações na fazenda Boa Vista em tempo real, com todas as informações nas pontas dos dedos, por meio do uso de tablets e aplicativos. Ela consegue verificar dados importantes que interferem na qualidade do plantio, das pulverizações e colheita como, por exemplo, a velocidade de operação das máquinas agrícolas. Quando algo escapa do planejamento da safra, a produtora entra em ação e orienta os operadores do maquinário rapidamente, em tempo hábil de sanar os problemas de campo.

Ela é a responsável pela adoção de uma moderna tecnologia que integra todos os dados da fazenda localizada em Chiapetta (RS). Trata-se de uma plataforma que ela descobriu em agosto de 2017, durante uma viagem técnica para conhecer fazendas nos Estados Unidos. Em solo americano, Gabriela constatou a eficácia do FieldView™ e, ao retornar para casa, não hesitou em investir na tecnologia. Desde então, a produtora é uma entusiasta de Climate FieldView. “No Brasil, a gente tinha várias ferramentas disponíveis mas não tinha nada tão completo como o FieldView. Começamos a testar o sistema em um talhão e logo no primeiro ano percebemos que era uma tecnologia muito benéfica. Hoje mapeamos 100% da nossa área, monitorando 3 mil hectares”, conta Gabriela.

Para utilizar Climate FieldView, o agricultor deve adquirir a licença anual que permite o uso da plataforma. Além disso, é necessário ter o FieldView™ Drive, um pequeno dispositivo que é responsável pela coleta de dados das máquinas agrícolas, e um Ipad dentro da cabine. O Drive coleta os dados e transmite para o iPad via bluetooth, onde são gerados mapas automaticamente em tempo real, sem a necessidade de conexão com internet ou qualquer outro processamento dos dados brutos. A tecnologia está disponível para resgate por pontos na Rede AgroServices, confira as ofertas aqui.

Os dados são sincronizados em tempo real e Gabriela pode acompanhar todas as informações no sistema pelo computador ou acessar via aplicativo Climate FieldView para tablet e celular. Gabriela conta que todas as noites ela recolhe os ipads acoplados às máquinas agrícolas e sincroniza as informações na nuvem, faz o download das atualizações necessárias, confere os dados coletados e a qualidade das operações feitas durante aquele dia para evitar falhas durante os trabalhos de campo. A produtora utilizou a tecnologia nas temporadas 2017/18, 2018/19 e já renovou a assinatura para a terceira safra consecutiva, temporada 2019/20. “Usamos o FieldView e já começamos a ver resultados desde a primeira operação, com a estrutura que ele oferece é possível receber treinamento e já sair utilizando a tecnologia. Hoje mapeio a primeira safra de soja e a segunda safra de milho também”, diz Gabriela.

 

Monitoramento integral

De acordo com a produtora, monitorar as operações de forma detalhada ajuda a melhorar significativamente o manejo da lavoura. Um dos destaques é poder observar no sistema a variabilidade de plantio.  “Vemos todos os dados de velocidade, distribuição de sementes, diferenças entre os talhões. Com o mapa de plantio, conseguimos ver qualquer falha que está ocorrendo em tempo real e fazemos a regulagem da plantadeira. O objetivo é eliminar as falhas e duplas. Observamos principalmente a população de plantas porque a semente é o insumo mais caro da lavoura, principalmente a de milho. Isso se reflete em produtividade e dinheiro no bolso”, diz ela. “Depois, com os mapas de plantio começamos a adotar melhores práticas de pulverização. Eu posso observar como a pulverização está sendo feita e consigo validar a operação.”

FieldView permite a importação de mapas do histórico de produção na fazenda e agrega informações de produtividade, clima, manejo de solo, além de permitir acompanhar o desenvolvimento vegetativo das plantações com imagens de satélite. “O recebimento das imagens de satélite abriu um monte de oportunidades para nós, elas nos ajudam a entender os resultados de colheita. Identifiquei um problema de erosão localizada que a gente não enxergava antes, por exemplo”, afirma a produtora.

Para Gabriela, um fator que vale a pena acompanhar de perto com Climate FieldView é o manejo nutricional. “Comecei a colocar os nossos mapas de fertilidade de solo dentro do sistema. Hoje tenho a facilidade de poder criar zonas de manejo com maiores ou menores produtividades e validar os resultados, assim consigo enxergar quais nutrientes estão resultando na melhor produtividade”, diz ela.

Ela aponta que outra vantagem do sistema é permitir investigar as causas das perdas na produção. “Com os mapas das operações em tempo real, conseguimos verificar queda de produtividade em uma área específica causada por um problema de irrigação. Descobri que os pivôs estavam pulverizando menos água, então nesse lugar as plantas tiveram um pior desenvolvimento vegetativo e produziram menos”, lembra Gabriela. “Já corrigimos essa falha de cultivo e com certeza no próximo ano não teremos esse problema.”

O monitoramento da safra atinge o auge durante a colheita, quando é possível consolidar um enorme volume de dados coletados durante toda a temporada e verificar quais técnicas de manejo obtiveram sucesso, além de poder identificar as causas das possíveis perdas de produtividade e mensurar a eficiência das máquinas agrícolas. “A colheita é o grande resultado da fazenda. O mapa de colheita vai ser o raio-x de todas as operações ao longo da safra. Com o Climate FieldView, você vai ver o resultado da produtividade metro a metro e conseguir tomar melhores decisões para a próxima safra”, opina a produtora Gabriela Nichel. “Posso acessar os relatórios de diversas maneiras. O Climate FieldView demonstrou falhas de cultivo e erros na operação que vão me ajudar e melhorar o manejo.”

Compartilhe!

COPYRIGHT © REDE AGRO S.A - Última atualização: 09/09/2019 (1.0.3225)