Imagens de satélite são fortes aliadas do produtor para melhorar decisões na lavoura

Agricultores podem contratar o monitoramento da lavoura, elaboração de mapas de fertilidade e muitas outras soluções por meio do resgate de pontos na Rede AgroServices

O agronegócio está valorizando cada vez mais o processamento e a análise de dados, especialmente com o uso de imagens de satélite, que permitem gerar diferentes tipos de mapas e interpretações com o objetivo de otimizar a aplicação de insumos e melhorar o manejo dos cultivos. A Rede AgroServices auxilia o produtor oferecendo várias ofertas para o sensoriamento remoto das lavouras, confira aqui.

As imagens de satélite permitem identificar e acompanhar a evolução de diferentes índices que influenciam na produtividade das lavouras, sendo que uma das tecnologias mais populares são os mapas NDVI, sigla em inglês para Normalized Difference Vegetation Index, que significa Índice de Vegetação por Diferença Normalizada. Outra aplicação importante das imagens está na elaboração de mapas de fertilidade e definição de zonas de manejo.

Atualmente, há uma grande variedade de serviços com imagens de satélite na Rede AgroServices e o produtor pode buscar uma solução que atenda objetivos específicos. É possível contratar uma consultoria especializada para elaborar mapas para o manejo de nematoides e mapas com foco na identificação da compactação do solo, por exemplo. Confira todas as ofertas de imagens de satélite para resgate por pontos na Rede AgroServices aqui.

Entre as soluções disponíveis, destaca-se a Climate FieldView, uma robusta e completa plataforma de dados que permite a gestão integral das operações agrícolas (confira aqui a oferta para resgate na Rede AgroServices). Imagens de satélite fazem parte do produto FieldView da Climate e são processadas e incorporadas à plataforma de maneira automatizada, gerando mapas de alta resolução e acessíveis ao produtor.

Além disso, outro diferencial é que a Climate desenvolveu um algoritmo próprio. Em vez de NDVI, a plataforma apresenta mapas de imagens de satélite por meio da tecnologia Climate Crop Index (CCI). “Usamos esse index para gerar as imagens para os agricultores, elas fazem parte do pacote que a Climate FieldView oferece. O produtor que obtém a licença da Climate pode desenhar os talhões dele dentro da plataforma e receber as imagens de satélite ao longo do ano”, afirma Paula Arruda, Gerente de Treinamento e Marketing de Produto da Climate FieldView.

 

Mapas confiáveis

De acordo com a gerente, o CCI é um índice de desenvolvimento vegetativo. No entanto, em comparação aos mapas NDVI disponíveis atualmente no mercado, o diferencial é que o algoritmo CCI da Climate oferece um alcance maior, que permite maior detecção de nuvens e maior acuracidade nos mapas. “O CCI tem a capacidade de aumentar a consistência das imagens refletindo a variação no crescimento vegetativo tanto no início quanto no final da safra, quando pode ser difícil distinguir as diferenças na vegetação. Isso significa que o agricultor tem a possibilidade de acesso à imagens mais representativas de seus talhões permitindo acompanhamento e priorização na tomada de decisão”, explica Paula.

A precisão dos dados é combinada com uma maior comodidade para a rotina do produtor. “A Climate facilitou muito o uso de imagens de satélite, disponibilizando os mapas de maneira automática. Basta o agricultor abrir o celular dele para ter todo esse diagnóstico da fazenda na palma da mão”, diz Paula Arruda. “Antigamente, as imagens de satélite tinham que ser trabalhadas e o acesso pelo produtor era mais complicado. Hoje conseguimos disponibilizar de maneira simples e o preço é bastante acessível.”

Cada hectare da fazenda é representado por 100 pixels, ou seja, cada pixel corresponde a um quadrado de 10m por 10m e a rotina de geração dos mapas depende das condições climáticas. A passagem do satélite ao redor do globo ocorre entre cinco e seis vezes por semana e essa também seria a frequência de captura de imagens. No entanto, apenas fotos válidas são incluídas no sistema. “Se o dia estava nublado e o talhão estava encoberto, quando a imagem chega para a Climate, essa imagem é automaticamente descartada. Não enviamos para o produtor imagens com 100% de cobertura de nuvens. Os nossos agricultores têm recebido, em média, uma imagem a cada 15 dias”, explica a gerente.

 

Avanços no manejo

Os mapas de índice vegetativo permitem analisar as condições da lavoura e planejar ações preventivas ou corretivas. Manchas observadas nos mapas podem sinalizar a alta incidência de doenças, infestação de pragas ou a presença de plantas daninhas em uma determinada área, por exemplo. “As imagens de satélite são uma camada a mais de dados que podem trazer mais informações a respeito da fazenda para os produtores. Um dos exemplos [de aplicação] é que se ele observa nas imagens que uma área do talhão está com um menor desenvolvimento, o produtor pode tentar entender a questão e ter uma atuação para tentar corrigir e buscar uma homogeneidade e aumento de produtividade”, diz Paula Arruda.

A Climate envia imagens históricas da fazenda do agricultor datadas de junho de 2016. “Além das imagens históricas, o produtor pode importar mapas de colheita de anos anteriores e identificar quais são as áreas mais produtivas e menos produtivas de cada talhão”, diz Paula. A tecnologia é tão útil e versátil que pode ser recomendada para diferentes atividades. Segundo Paula, vários clientes utilizam os mapas com imagens de satélite da Climate FieldView para auxiliar na adubação de áreas degradadas, na correção de áreas compactadas, entre outras aplicações. Outra finalidade útil é planejar a rotação de culturas e acompanhar a implementação dos novos cultivos.

Ainda segundo a gerente, há diversas formas de explorar as informações e as imagens de satélite podem ser mais valorizadas no Brasil. “Acredito que a tecnologia tem muito mercado para crescer. Não é todo agricultor que conhece e usa. É uma ferramenta de muita utilidade, é mais uma camada de dados que vai ajudar muito o agricultor na tomada de decisão, buscando sempre uma maior eficiência na fazenda, maior produtividade e consequentemente maior lucratividade”, diz Paula Arruda.

A Climate FieldView é uma plataforma completa oferecida por meio de uma licença de uso anual por área contratada, podendo atender produtores de diferentes perfis e ajudar na gestão de variadas culturas, especialmente soja, milho e algodão. Leia mais sobre a plataforma: Agricultura Digital revoluciona o monitoramento das lavouras.

Compartilhe!

COPYRIGHT © BAYER S.A - Última atualização: 16/05/2019 (1.0.2816)