Aplicação em taxa variável de corretivos uniformiza a fertilidade do solo

Aplicação de corretivos a taxa variável. Foto: divulgação/Novatec.

Investimento na tecnologia gera economia em insumos e auxilia no aumento de produtividade das lavouras


Cada talhão da fazenda é único. Em algumas áreas, as plantas se desenvolvem satisfatoriamente, enquanto que em alguns talhões a produtividade pode ser menor do que a média da fazenda. Isso é justificado pela grande variabilidade na composição dos solos, que podem apresentar diferentes características físicas e químicas em uma mesma propriedade rural. Por outro lado, é possível minimizar os efeitos essa variabilidade por meio do investimento em análise de solo e melhores decisões de manejo para a correção pré-plantio.

Muitos produtores distribuem os corretivos agrícolas de forma uniforme em toda a fazenda. No entanto, a estratégia mais inteligente e econômica de realizar o procedimento é investir na aplicação de corretivos a taxa variável. A tecnologia se apoia em mapas de fertilidade para aplicar produtos como calcário, gesso, potássio e fósforo sob medida, levando em consideração as particularidades de cada área da fazenda.

 

Correção de solo eficiente

O resultado desse esforço é o aumento da eficiência agronômica dos corretivos. É possível corrigir áreas deficientes em nutrientes com precisão, o solo terá condições de nutrir as plantas adequadamente e as lavoras poderão registrar avanços na colheita. “Uniformizar a fertilidade do solo também trará uniformidade na produção. Teremos um equilíbrio nutricional. Consequentemente, o produtor vai ter um melhor aproveitamento do insumo, plantas mais sadias e maior produtividade”, afirma Sebastião Igor Lima, engenheiro agrícola e sócio-proprietário da Novatec, empresa parceira da Rede AgroServices que oferece serviços de aplicação por meio do resgate de pontos na plataforma, confira as ofertas aqui.

Há diferentes tecnologias para aplicação a taxa variável de corretivos que são recomendadas de acordo com a cultura e corretivo adquirido pelo produtor. De acordo com Lima, para a aplicação de produtos em pó, como fosfatados de fina granulosidade e calcários especiais, a melhor alternativa é apostar na máquina de distribuição por gravidade. “É um equipamento de alta tecnologia, para quem busca um serviço de mais qualidade e para distribuir produtos de alta reação com precisão. Ela é a mais indicada para aplicar corretivos no estado em pó porque garante melhor uniformidade e evita perdas causadas pela ação do vento”, diz Lima.

A máquina de aplicação por gravidade pode ser empregada em operações de correção de solo pré-plantio para qualquer tipo de cultura anual, como por exemplo a soja, o milho e o algodão. No entanto, o rendimento do equipamento é inferior se comparado com a máquina a lanço e, por isso, não é indicada para a correção de áreas muito extensas.

 

Taxa variável em culturas perenes

A aplicação de corretivos a taxa variável também traz benefícios para culturas perenes como o café e tem muito espaço para se popularizar. No entanto, a tecnologia gera resultados em médio a longo prazo e ainda é pouco explorada entre os cafeicultores. “Acreditamos que a partir do terceiro ano o produtor consegue enxergar uma maior uniformidade de fertilidade. Com sucessivas correções de solo, o produtor vai ter uma economia de insumos”, afirma o engenheiro agrícola.

Para culturas perenes, a aplicação pode ser realizada com máquina a lanço. Os cafeicultores também podem resgatar o serviço de aplicação por pontos na Rede AgroServices. “Temos trator cafeeiro e uma máquina distribuidora menor, específica para culturas perenes e que faz a distribuição dos corretivos a taxa variável a lanço. É um equipamento direcionado para aplicar produtos em pó e granulados em qualquer lavoura mecanizada de café”, diz Lima.

A empresa prestadora de serviço é responsável pela regulagem de maquinário e aplicação, garantindo a máxima performance durante o uso do equipamento. A empresa disponibiliza trator e a máquina de aplicação, que possui GPS e controlador integrados para realizar a distribuição dos corretivos a taxa variável. Além disso, o serviço é realizado por um operador capacitado que planeja a aplicação. A empresa prestadora de serviço vai avaliar o tipo de corretivo a ser aplicado e se responsabiliza pela aplicação das doses corretas em cada área, em conformidade com os mapas de fertilidade fornecidos pelo produtor.

Compartilhe!

COPYRIGHT © REDE AGRO S.A - Última atualização: 12/07/2019 (1.0.2987)